Oclusão e bruxismo

A oclusão é a área da medicina dentária que se ocupa das relações entre a arcada dentária superior (maxilar) e a inferior (mandíbula) e as suas relações com as estruturas anexas (dentes, gengivas, ossos, músculos, ligamentos, articulação temporomandibular). Numa oclusão fisiológica deve haver uma relação harmoniosa entre o maxilar e a mandíbula, sem interferências ou prematuridades (provocadas por má posição dentária, entre outras situações), onde o côndilo mandibular se encontra bem posicionado relativamente à cavidade glenóideia (articulação temporomandibular).
A oclusão corresponde a qualquer contacto entre os dentes superiores e os inferiores. No entanto, a definição só está completa quando considerada a relação dinâmica, morfológica e funcional entre todos os componentes do órgão mastigatório: os dentes, as estruturas de suporte dos dentes, o sistema neuromuscular, as articulações temporomandibulares e o esqueleto craniofacial.
Temos à sua disposição Médicos Dentistas com vasta experiência técnica e académica, no diagnóstico e no tratamento dos desequilíbrios funcionais da oclusão. A maioria dos desequilíbrios traduzem-se em dor na articulação temporomandibular, dor de ouvido, dor de cabeça, dificuldade e limitação nos movimentos mandibulares e, em casos extremos, ao bloqueio da mandíbula com impossibilidade de a fechar.

Disfunção temporomandibular e dor orofacial são alterações patológicas da articulação temporomandibular (ATM) que podem causar dores nas estruturas faciais, associadas à disfunção.
As DTM (dinfunções temporomandibulares) são alterações patológicas relacionadas com a articulação temporomandibular (ATM), que articula o crânio e a mandíbula, podendo ser tanto da parte muscular mastigatória, ligamentar e nervosa, na região buco-facial ou cervical. Pode ter como consequência dores de cabeça ou pescoço, dores na região do ouvido, ruídos articulares (estalos), zumbidos no ouvido, limitação de abertura bucal, desgaste nos dentes e dificuldades na mastigação. De etiologia ainda não definida é, no entanto, multifactorial, e acredita-se que o stress seja o principal fator que desencadeia uma DTM, para além de hábitos parafuncionais como o bruxismo, traumas na região da cabeça e pescoço, má postura e má oclusão.

Perguntas Frequentes

O que é o bruxismo?

Actualmente a definição de bruxismo é dividida em duas:

  • Bruxismo nocturno consiste numa hiperactividade muscular dos músculos da mastigação durante o sono, que é caracterizada por uma fase rítmica (fásica) e não rítmica (tónica), em que nos indivíduos saudáveis não pode ser considerada uma patologia do sono, nem patologia do movimento;
  • Bruxismo diurno consiste numa hiperactividade dos músculos da mastigação durante a vigília, caracterizado por contactos dentários repetidos e sustentados e/ou contracção rígida da mandíbula numa dada posição ou movimentos bruscos da mandíbula, com ou sem contacto dentário, em que nos indivíduos saudáveis não pode ser considerada patologia do movimento.

Na maioria das pessoas não é uma patologia, mas em alguns pacientes pode ser um sinal de outra patologia, como por exemplo síndrome de apneia obstrutiva do sono, epilepsia, etc.

Além disso, o bruxismo deve ser  acima de tudo considerado um factor de risco e não uma patologia. É de origem multifactorial e um factor de risco acrescido, pois terá consequências negativas na saúde oral, como desgaste dentário, fracturas, patologia ATM.

O bruxismo pode ser resumido no seguinte, consoante cada paciente e sua situação clínica:

  • Bruxismo como um comportamento inofensivo;
  • Um factor de risco acrescido para outras situações clínicas, com consequências clínicas que têm de ser tratadas;
  • Um factor protector para a saúde em geral, por ser um meio de libertar stress emocional acumulado, ou como um mecanismo de defesa em pacientes com apneia do sono.

Quem pode fazer bruxismo?

Os estudos mais recentes dizem que entre 15 a 90% da população já teve episódios de bruxismo, no entanto apenas entre 5 a 20% tem consciência disso. O bruxismo nocturno é difícil ser identificado pelo próprio paciente,  já que é uma parafunção inconsciente, geralmente só quando surge um forte desgaste dentário, ou queixas de dor orofacial é que o paciente procura ajuda. Por vezes é identificado por terceiros pelo barulho que o paciente faz a ranger os dentes. Tanto os adultos como as crianças podem fazer bruxismo a dada altura da vida. Nas crianças, estudos recentes associam o bruxismo nocturno que actualmente é classificado como distúrbio do sono à síndrome de apneia obstrutiva do sono, requerendo especial atenção por parte do médico.

Qual é a causa do bruxismo?

O bruxismo está relacionado com o sistema nervoso central. O stress emocional e a ansiedade acumulados ao longo do dia são descarregados nos músculos do sistema mastigatório com aumento da contracção muscular e consequentemente o ranger dos dentes ou o apertamento dentário. Isto não acontece de forma contínua, mas por picos ou de forma ondulante, alternando com fases mais silenciosas.

Quais as consequências do bruxismo?

Como consequências temos o desgaste dentário, ocasionalmente fractura de dentes, restaurações, coroas e até implantes. Outra consequência é o desgaste da ATM, podendo desencadear, caso existam factores adicionais, uma DTM, com dor orofacial.

Qual é o tratamento para o bruxismo?

Não existe cura para o bruxismo. Por ser geralmente um processo inconsciente apenas podemos atenuar os seus efeitos secundários. Se o bruxismo é diurno, há que tornar o processo consciente para o conseguir controlar, assim o paciente consegue educar o cérebro.

É um tratamento multidisciplinar, onde é pedido ao paciente um estilo de vida mais saudável, evitar álcool e café, prática de desporto e de técnicas de relaxamento, já que o stress é um dos componentes principais do bruxismo.

Podem ser confeccionadas goteiras, para serem usadas à noite, uma vez que o bruxismo nocturno não é possível controlar, estas goteiras evitam o desgastes dentário e evita-se também a compressão das superfícies articulares da ATM. Em casos mais severo pode ser aconselhada medicação para promover o relaxamento muscular ou em caso de dor orofacial diminuir a inflamação dos tecidos.

Quando os dentes estão muito desgastados é possível reverter o processo?

Sim, mediante a reabilitação dos dentes desgastado com coroas, restaurações directas com resinas compostas, ou restaurações indirectas de cerâmica (onlay ou overlay). Esta reabilitação tem como objectivo devolver a estética, o equilíbrio e a forma e função.

O que é uma goteira de bruxismo?

São placas de acrílico feitas à medida de cada paciente, tendo como objectivo evitar o contacto dos dentes superiores e inferiores. Como o acrílico é mais mole do que o esmalte dos dentes é a goteira que sofre o desgaste e não os dentes. Na entrega destas goteiras são necessários ajustes e de tempos a tempos dever ser verificado pelo médico dentista se é necessário voltar a ajustá-la. Não deve ser usada continuamente, apenas nos períodos críticos de bruxismo, que com o tempo e prática o paciente começa a conseguir identificar.

Médicos